Notícias

XI Semana Nacional da Segurança/ Campanha de Uso Consciente de Energia Elétrica

 

Cai o índice de acidentes da população com a rede elétrica

Campanha foca nos desafios de reduzir as ocorrências entre as principais causas de mortes por contato com a rede: construção e manutenção predial e ligação elétrica clandestina.

Fonte: Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica - ABRADEE

Brasília, 24 de Julho de 2017 - O número total de acidentes entre a população brasileira envolvendo a rede de energia elétrica vem caindo nos últimos anos. Desde que começou a fazer o monitoramento, em 2001, a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) revela queda gradual, ano a ano, atingindo 26%. O percentual de ocorrências de maior gravidade, com episódios fatais, caiu mais ainda: 37% nos últimos 16 anos, sendo que, só do ano passado pra cá, a redução foi de 9%. A menor taxa de incidências revela o resultado das campanhas de conscientização que as distribuidoras têm feito junto à população, com o reforço em ações focais direcionadas às principais causas. Este ano, a XI Semana Nacional da Segurança/Campanha de Uso Consciente de Energia Elétrica realizada pelas concessionáriaspretende alcançar cerca de 206 milhões de pessoas em todo o País, com a adesão das 47 empresas associadas à Abradee, o que corresponde a praticamente todo o país.

A cada ano, as distribuidoras reforçam as ações da campanha com base nos tipos de acidentes mais comuns motivados pelo contato da população com a rede elétrica. Com o slogan Energia Elétrica com Consciência, a iniciativa tem o objetivo de conscientizar para prevenir, e este ano, chama a atenção para cinco situações do dia a dia das pessoas que têm sido as principais razões dos incidentes: construção/ manutenção predial; ligações clandestinas; pipa; instalações de antena de TV; e poda de árvore.

Segundo o presidente da Abradee, Nelson Fonseca Leite, a apuração dos números e tipos de acidentes dos usuários com a rede elétrica é uma ação de extrema importância, pois, além de fazer o controle dos casos, também ajuda no direcionamento das estratégias das campanhas de conscientização e prevenção de novas ocorrências. “Vemos os resultados deste trabalho ao observar que de 2009 a 2016, tivemos uma redução total de óbitos em todos os tipos de ocorrência abrangidos pela Campanha”. 

 

Para acesso à Apresentação da Coletiva, clique aqui.

Para acesso ao Release da Coletiva, clique aqui.



Pesquisa mostra que a maioria dos casos de morte ocorre na construção e manutenção de edifícios 

Jornal VS | jornalvs.com.br - 24/08/2015 

No ano passado, 299 pessoas morreram em acidentes envolvendo contato com fios da rede elétrica em todo o País, ante 317 em 2013. O levantamento foi feito pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica. O total de desastres caiu para 777 em 2014, ante 841 em 2013. O número de acidentes registrados em 2014 é o menor desde o início da contagem em 2001. 

A pesquisa mostra que a maioria dos casos de morte ocorre na construção e manutenção de edifícios. No ano passado, foram 64 óbitos. Em segundo, com 24 ocorrências, está a ligação elétrica feita de forma clandestina, seguida pela instalação e reparo de antenas de TV (23 mortes), poda de árvores (13 mortes) e uso de pipa (7 mortes). 

O levantamento mostra que houve 196 acidentes com lesões graves no ano passado e 282 ocorrências com lesões leves. De acordo com o presidente da associação das distribuidoras de energia, Nelson Leite, os acidentes na construção civil acontecem principalmente em obras informais. No caso dos acidentes com ligações clandestinas, são registrados em grande parte nas periferias e em locais onde não há rede elétrica regularizada. 

"Geralmente, as pessoas vão fazer puxadinhos e encostam objetos acidentemente na rede. A principal recomendação é não aproximar qualquer objeto da rede elétrica. Se tiver dúvida, é preciso chamar um eletricista ou a concessionária", disse Leite. 

A associação abriu hoje (24) a 10ª Semana Nacional da Segurança da População com Energia Elétrica. Neste ano, o objetivo é alcançar 120 milhões de pessoas, com peças publicitárias, palestas em escolas e canteiros de obras e divulgação de informações nas contas de luz. 

Para Leite, a falta de informação e conscientização sobre os riscos são as principais causas dos acidentes. "Só atingiremos a meta de zero acidentes quando toda a população brasileira estiver consciente dos riscos do contato com a rede elétrica, dos riscos que ela [a rede] representa", acrescentou. 


Diário da Fronteira - Uruguaiana/RS - 26/08/2015 

No ano passado, 299 pessoas morreram em acidentes envolvendo contato com fios da rede elétrica em todo o país, ante 317 em 2013. O levantamento foi feito pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica. O total de desastres caiu para 777 em 2014, ante 841 em 2013. O número de acidentes registrados em 2014 é o menor desde o início da contagem em 2001. A pesquisa mostra que a maioria dos casos de morte ocorre na construção e manutenção de edifícios. No ano passado, foram 64 óbitos. 

Em segundo, com 24 ocorrências, está a ligação elétrica feita de forma clandestina, seguida pela instalação e reparo de antenas de TV (23 mortes), poda de árvores (13 mortes) e uso de pipa (7 mortes). O levantamento mostra que houve 196 acidentes com lesões graves no ano passado e 282 ocorrências com lesões leves. De acordo com o presidente da Associação das Distribuidoras de Energia, Nelson Leite, os acidentes na construção civil acontecem principalmente em obras informais. 

No caso dos acidentes com ligações clandestinas, são registrados em grande parte nas periferias e em locais onde não há rede elétrica regularizada. “Geralmente, as pessoas vão fazer puxadinhos e encostam objetos acidentalmente na rede. A principal recomendação é não aproximar qualquer objeto da rede elétrica. Se tiver dúvida, é preciso chamar um eletricista ou a concessionária”, disse Leite. 


Abradee faz lançamento da X Semana Nacional de Segurança da População com Energia Elétrica - Tribunal Superior do Trabalho (TST) 

25/08/2015- A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) lançou, nesta segunda-feira (24), a X Semana Nacional da Segurança da População com Energia Elétrica, que será realizada até o dia 30 desse mês. A campanha teve início em 2006 e visa reduzir os números de acidentes e reforçar ações contra as principais causas de mortes por contato com a rede elétrica. 

De acordo com dados da instituição, a construção/manutenção predial lidera o ranking de causas de mortalidade, dentre 14 tipos de acidentes envolvendo a rede elétrica e a população. Esta causa mortis representou 49% dos casos de óbitos registrados no país durante todo o ano de 2014. O segundo lugar no ranking ficou com ligações elétricas clandestinas, com 18% das ocorrências. 

Com o slogan: "Usar Energia Elétrica com responsabilidade. Escute esse recado", a Abradee pretende alcançar cerca de 120 milhões de pessoas em todo o país. Os seis temas a serem trabalhados, selecionados com base nos tipos mais comuns de ocorrências são: instalação de antena de TV; equipamentos agrícolas; soltar pipa/papagaio; construção ou manutenção predial; furto de energia e poda de árvores. 

O presidente da Abradee, Nelson Fonseca Leite, alerta sobre a importância da conscientização. "A melhor maneira de prevenir acidentes é por meio de informação e conscientização da população sobre os cuidados a serem observados na convivência com a rede elétrica", afirmou. Prova do sucesso de campanhas do tipo é a "sensível redução" no índice de acidentes e de mortes entre 2103 e 2014, segundo Nelson Fonseca Leite. 

Disponível em: http://www.tst.jus.br/web/trabalhoseguro/programa